O Discurso de Evan Rachel Wood


Para os que não conhecem, Evan Rachel Wood ficou e uma atriz americana que fez o filme "Aos Treze" e recentemente ela deu uma declaração maravilhosa sobre a atuação da mulher no cinema. E sentia a vontade de expressar e compartilhar com vocês a declaração dessa jovem atriz, leia abaixo o texto escrito pela atriz:

"Após conferir o novo corte de Charlie Countryman, gostaria de compartilhar meu desapontamento com a MPAA, que pensou ser necessário censurar a sexualidade feminina mais uma vez. A cena dos dois protagonistas fazendo ‘amor’ foi alterada porque alguém pensou que assistir um homem fazendo sexo oral em uma mulher deixaria as pessoas ‘desconfortáveis’, mas cenas em que pessoas são mortas ao terem suas cabeças explodindo permaneceram intactas. Este é um sintoma de uma sociedade que quer envergonhar a mulher e colocá-la para baixo por gostar de sexo, especialmente quando (uau!) o homem também não chega ao orgasmo! É difícil, para mim, acreditar que a cena seria cortada se os papéis fossem invertidos. OU se a personagem feminina fosse estuprada. Está na hora das pessoas CRESCEREM. Aceitem que mulheres são seres sexuais. Aceitem que alguns homens gostam de dar prazer a uma mulher. Aceitem que uma mulher não deve apenas se f… e dizer obrigado. Temos o direito e o dever de sentirmos prazer. É hora de nos impormos”, disse a atriz numa série de twittes.

O filme citado pela atriz, e o longa dirigido por Fredrik Bond, e tem no elenco os atores Shia LaBeouf, Mads Mikkelsen, Melissa Leo e Rupert Grint. Minha opinião sobre o texto é que, este e uma fato que acontece e muito na industria do cinema, pois como pode haver uma organização que escolhe o que pode ou não num filme, só para caber nos patrões morais, retirando assim cenas que eles consideram impróprias ou imorais, quando a arte, seja ela no cinema, na música ou na própria pintura, não deveria ser censurada ou limitada. Afinal já assisti vários filmes onde mostra um homem recebendo um oral, não de forma explicita, mas a mulher receber um, fica um patrão errado e inadequado para ser exibido no cinema.


Quando as pessoas vão parar de limitar as ações femininas no cinema, seja ele brasileiro, francês ou americano, ou quando não é isto, nos mulheres somos colocada nos cinema com símbolos apenas meramente visuais sem nenhum grande merecimento, sem uma grande salário. Quer um exemplo, o ator Leonardo Dicaprio vive morrendo em seus filmes, mas ao contrário de sua parceira de Titanic, Kate Winslet ele não vive aparecendo pelada nas telas de cinema, a própria atriz disse uma vez que se sentia incomodada de as vezes ter que fazer isso. Mas este tipo de cena, mostrando mulheres nuas e expostas não é imoral ou impróprio. Sério mesmo, pode me chamar de feminista defensora de mais espaço para a mulher na arte, mas acredito na igualdade dos sexos, afinal ser mulher vivendo sua sexualidade não deveria ser motivo de cortes. Evan Rachel Wood, mostrou que não teria sido nenhum tipo de inconveniente ela aparecer neste tipo de cena, então se ela mesma como mulher não se ofenderia, pois esta exercendo sua arte, quem somos nós para nos ofender e limitar. Apenas a mim humilde opinião.

Um comentário:

  1. Fato verdadeiro, gostei de suas palavras, pois apoio totalmente a liberdade da mulher no cinema e achei isso ridículo terem censurado a cena do filme.

    ResponderExcluir