[Resenha] Morro dos Ventos Uivantes - Emily Brontë

Sinopse: Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. “Meu amor por Heathcliff é como uma rocha eterna. Eu sou Heathcliff”, diz a apaixonada Cathy.

Resenha: Este livro me foi apresentado pela primeira vez quando li "Crepúsculo", afinal este livro e citado pela Bella como seu livro favorito, e me despertou a curiosidade de saber que romance seria este. E descobri que foi o único romance escrito pela autora Emily  Brontë e que se tratava de uma das histórias de amor mais surpreendentes de todos os tempos, se tornando um clássico da Literatura inglesa e com certeza o favorito de milhares de pessoas, inclusive do meu. Mas confesso não me sentir tão ligada completamente ao personagem de HeathCliff e seu amor por Catherine, por que como posso ver como um amor maior de todos os tempos, se a leitura passa de um modo como obsessão doente reciproca o sentimento dos dois. E com certeza a decisão de Catherine em momento do livro de se casar por dinheiro, meio que me fez desgostar dela completamente por que se fosse amor, ela se casaria com outro por algo com ganância? Sei que fica claro que isso e algo que amargurá a vida dela até o dia de sua morte, enlouquecendo-a de culpa por não ter lutado pelo seu verdadeiro amor, o que a torna fraca e isso decepcionante. E depois da morte dela, Heath vai enlouquecendo aos poucos também, mas com a diferença de que ele carrega uma dose bem maior de raiva por não poder estar com sua amada. E talvez tenha sido desta raiva que o fez viver, mas também o tornando um homem frio. Tornando ele um homem capaz de fazer a infelicidade de todos ao seu redor. Como se isso desconta-se o fato da Catherine ter escolhido outro e não ele para casar.

Ainda sim "O Morro dos Ventos Uivantes", faz-se um clássico por que é uma história bem escrita, sobre amor e como isso pode acabar fazendo pessoas sentirem ódio e raiva e querer vingança. Confesso que não é uma leitura que eu faria repetidas vezes, mas certamente vale a pena ler uma vez, e conhecer esta belíssima história.

E como todo bom livro, este também se tornou uma adaptação para o cinema em 1939 foi feita a primeira adaptação desta obra, um outro em 1992 com a magnífica Juliette Binoche e Ralph Fiennes no longa e atualmente em 2012. Como podem ver uma obra tão bela que ganhou os cinemas em várias épocas diferentes.


Eu com certeza recomendaria a versão de 1992 com a Juliette para os que ainda não assistiram ao filme. Agora ao livro não só recomendo que leem mas que apreciem com calma esta maravilhosa obra de um romance que ultrapassa o tempo e que sempre vai continuar encantando independente do tempo. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário