Azul é a Cor Mais Quente | Crítica

Sinopse: Adèle (Adèle Exarchopoulos) é uma garota de 15 anos que descobre, na cor azul dos cabelos de Emma (Léa Seydoux), sua primeira paixão por outra mulher. Sem poder revelar a ninguém seus desejos, ela se entrega por completo a este amor secreto, enquanto trava uma guerra com sua família e com a moral vigente.


Sabe quando você não consegue forma uma critica construtiva, por não saber como colocar as palavras certas para algo tão bom? Bem, eu me sinto assim sobre "Azul é a Cor Mais Quente". Eu relutantemente me recusava a dar uma chance a este filme pelo título um tanto que estranho, por mais que tivesse causado em Cannes a sua essência ainda não tinha me cativado a assistir a este filme. Até que vi "A Bela & a Fera" com a Léa e pensei poxa ela é tão boa atriz preciso ver, mas trabalhos dela, então lembrei que no Netflix tinha este filme disponível para assistir, então coloquei para ver, e no fim esta a minha opinião sobre este filme que nunca poderá ser incompleto ou exploratória no sentido de mostrar cenas sexuais abertas e sem pudor entre duas garotas. Mesmo que tenha esse estilo cru por mostrar tais cenas, o filme dirigido por Abdellatif Kechiche, é simplesmente situações que acontecem sem serem vulgar, ou até mesmo chocante, sendo que é apenas esta passagem que muitos adolescentes passa no dia a dia para a fase adulta, é isso e um questão difícil de explicar completamente e este diretor meio que consegue. E vai por mim quando você lê a sinopse e pensar e um filme sobre duas garotas que "se tão uns pegas", sim o filme mostra isso, mas acho que e algo que acontece na juventude quando se esta gostando de alguém. O sexo esta ali, é claro que vai estar, mas isso só serve como pano de fundo para uma história bem mais complexa que vale a pena dar uma chance e assistir.



O filme é realmente bom e o relacionamento construído entre a Adèle e a Emma e tão delicado e mostrado de um modo tão inteligente que você se percebe gostando da história e de como ela foi desenvolvida. Azul é a Cor Mais Quente com certeza e um daqueles filmes que consegue mostrar a força do amor sem ser clichê. E uma questão descrita no título Original La Vie d'Adèle - Chapitres 1 et 2 indica que este é o capítulo da saga de Adéle, e este foi apenas o primeiro. Espero que o diretor queira dar continuidade a esta história produzindo a parte 2.



Depois que pude assistir se tornou um dos poucos bons filmes que já pude ver, e mega recomendo para quem ainda não conferiu.



Nenhum comentário:

Postar um comentário