Louca por Séries: Red Band Society

Red Band Society é uma daquelas séries únicas que você se pergunta - "Como não a conheci antes" - Se ainda não conhece, leia o post abaixo:


Red Band Society, Louca por Séries, Uma Garota Chamada Sam,

Sabe quando um seriado te pega completamente de surpresa? Bom Red Band Society, pode se chamar de maravilhosa surpresa.  A série é uma adaptação americana da série de sucesso espanhola "Polseres Vermelhas" (Que ainda não conferi), mas a americana esta perfeita.

Sinopse: A história é narrada por cada episódio por Charlie (Griffin Gluck), um garoto de 12 anos que esta em coma e que nos apresenta ao seu grupo de amigos um pouco improváveis, contando um pouco sobre suas histórias. Além de acompanhar os adolescentes, alguns que moram no hospital há anos e outros que acabaram de chegar com graves problemas, que vamos descobrindo em cada episódio.

O que gostei nesta série e que ela mostra o dia a dia dos médicos e enfermeiros, mas não foca neles, como estamos acostumados a ver em seriados com "Greys Anatomy" ou "House". Em Red Band Society é mas sobre este grupo de pacientes que possuem cada um sua história e seus anseios.

Neste novo seriado transmitido pela Fox e produzido por Steve Spielberg, na série também conhecemos alguns personagens secundários como Leo Roth (Charlie Rowe) um garoto de 16 anos com câncer, que acaba ganhando um companheiro de quarto chamado Jordi Palacios (Nolan Sotillociara), um jovem mexicano que foi para os Estados Unidos em busca de tratamento para o câncer e terá que amputar a perna. Depois conhecemos Emma (Ciara Bravo) uma garota que sofre distúrbio alimentar e já se envolveu com Leo. E temos Kara (Zoe Levin) uma líder de torcida, meio fútil no começo, que acabou de chegar ao hospital, após desmaiar durante um treino, e descobre que precisa de um transplante de coração. E por fim Dash Hosney (Brian Brandley) que tem fibrose e é o melhor amigo de Leo.

Red Band Society, Louca por Séries, Uma Garota Chamada Sam,

Esta série com uma história um tanto diferente da maioria foi o que me fez gostar dela, os personagens são legais e bem divertidos apesar de estarem morando em um hospital e estar enfrentando seus medos, a série se torna boa por focar neles ao invés da vida dos médicos. Red Band Society me conquistou completamente e torço para que se torna um sucesso, a leveza dela e tão grande, que em muitos momentos nos esquecemos que se trata de um hospital, com adolescentes doentes.


Um reflexo de vida eu acho, porque apesar de tudo isso, dos problemas, eles continuam encarando a vida, se divertindo, aproveitando cada segundo. Porque se pararmos para pensar muitos tem tudo na vida e reclama da vida que tem, enquanto outros tem tão pouco e vivem a vida sem receios. 


E disso o que precisamos ver esta motivação, e esta série nós dá isso em cada episódio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário