Dica de Filme: A Bailarina

Hoje a dica de filme é a animação A Bailarina que vai contar a história de uma menina que sonha em se tornar uma grande Bailarina em Paris.


Sinopse: Paris, 1869. Uma sonhadora menina órfã toma uma atitude arriscada para conseguir o que quer: foge para Paris para realizar o sonho de ser uma grande bailarina. Lá ela decide se passar por outra pessoa, e consegue uma vaga no Grand Opera, onde vai aprontar muitas aventuras.

A Bailarina é uma animação bonita por contar a história de uma menina órfã que sonha em se tornar uma grande Bailarina, porém devido a várias reviravoltas ela acaba assumindo a identidade de outra menina para poder conseguir realizar o seu sonho. Com vários momentos engraçados e que vai com certeza divertir toda a família.


Confesso que a imagem do desenho me lembrou de algumas produções dos filmes da Barbie, e poderia ter sido mais bonita, se o desenho em si, fosse mais bem trabalhado. Mas a história cativa vai você e toda família se encantar, principalmente as crianças. Então se vocês busca uma animação boa para assistir em sua sexta – feira a noite, fica uma excelente dica com a Bailarina que apesar da imagem do desenho não ser grande, a trilha sonora é divina do filme, e na versão original foi dublado pela atriz Elle Fanning é no Brasil a atriz Mel Maia foi quem fez a dublado para português desta linda história sobre sonhos, desejos e conseguir e principalmente lutar para alcançar os seus sonhos.


Espero que gostem da dica de animação de hoje, e que possa curtir junto com toda a família, com os filhos, ou até mesmo sozinho, pois vale a pena assistir e acreditem você vai se divertir bastante e se apaixonar por essa pequena Bailarina. 

Um comentário:

  1. É uma linda história! Norman McLaren afirmava que o cinema de animação não era a arte dos desenhos em movimento, mas a arte do movimento que é desenhado. A Bailarina é um filme de texturas luxuosas e grandiloquentes movimentos da câmera virtual, criados para realçar a grandiosidade dos cenários. O enredo possui alguns detalhes inesperados que passam por certa amoralidade nas ações de sua heroína, capaz de fingir ser outra pessoa para atingir os objetivos que ela acha que são negados por pura questão de classe. As profundas debilidades do filme aparecem quando os personagens se movem e, especialmente, quando dançam, sujeitos a movimentos que pouco lembram a leveza graciosa dos corpos na dança clássica e que, em vez disso, mostram as limitações de certa animação digital quando amarra às cadeias do algoritmo a liberdade do traço do artista artesão.

    ResponderExcluir