Mother (Mãe) com Jennifer Lawrence | Crítica

Mother (Mãe) do diretor Darren Aronofsky com a atriz Jennifer Lawrence, é um filme que aborda uma analogia interessante e com um desfecho surpreendente.  

Mother, Movie, Uma Garota Chamada Sam
Sinopse: Um casal vive em um imenso casarão no campo. Enquanto a jovem esposa (Jennifer Lawrence) passa os dias restaurando o lugar, afetado por um incêndio no passado, o marido mais velho (Javier Bardem) tenta desesperadamente recuperar a inspiração para voltar a escrever os poemas que o tornaram famoso. Os dias pacíficos se transformam com a chegada de uma série de visitantes que se impõem à rotina do casal e escondem suas verdadeiras intenções.  

Mother que em português significa Mãe, tem uma excelente direção por parte do Darren Aronofsky, e logicamente da interpretação de Jennifer Lawrence que brilha em absoluta interpretando uma mulher e esposa, que vive sua vida tranquilamente até a chegada de um completo estranho em sua casa, até este ponto o filme não parece trazer grandes surpresas, porém o estranho leva a sua esposa para a casa (Michelle Pfeiffer), e que vai transformar a harmonia daquela casa em um "inferno", dando ao telespectador uma perspectiva interessante da história.  

Mother, Movie, Uma Garota Chamada Sam
O filme tem uma analogia interessante, por abordar e desde do princípio se você prestar toda devida atenção, a bíblia, ou seja, o longa Mother (Mãe), traz a mãe natureza em sua completa beleza e fúria, em sua calmaria, mas em seus tormentos, devido a tudo o que a humanidade fez com ela e com a beleza criada ao redor por ela e por Deus. Não desejo dar spoiler para vocês que pretendem assistir a este filme maravilhoso, com excelentes interpretações e principalmente com um roteiro perfeito que consegue manter o interesse do telespectador até o final, pois você fica no desejo de entender melhor e de compreender porque tudo vai acontecendo em uma sequencias de atos que levam ao final maravilhoso que o filme proporciona 

Mother, Movie, Uma Garota Chamada Sam
O filme deve muita critica dividida, pesando ao negativo, e outras positivas ao longa, ele foi vaiado em seu primeiro dia do festival de Veneza. Outros elogiaram a analogia do filme de Aronofsky, e eu como telespectador e pouca entendedora de cinema, aprecie bastante a proposta do filme, e acredito em uma indicação de Lawrence para o Oscar 2018, na categoria melhor atriz. Afinal já devemos começar as nossas apostas ao Oscar 2018.

Um dos pontos interessantes e apostado por Darren Aronofsky em Mother (Mãe), e a falta de trilha sonora, o filme inteiro e somente pela sonoridade da respiração, dos sons vindos da casa ou o silêncio que instiga a quem assiste a tentar desvendar o próximo momento que se seguirá no longa. Novamente maravilhoso esta proposta do diretor, o que deixou para mim o filme ainda mais interessante, e com certeza a minha crítica a ele e completamente positiva, pois estou enganada por essa produção e principalmente pela analogia bíblica trazido nesta produção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário