Garota Infernal | Resenha Literária

Garota Infernal é uma leitura interessante, embora não traga nenhuma relevância ou mudança de vida. Mas ainda assim, cumpre em sua forma de entretenimento, mesmo que contenha em grande parte uma história repleta de clichês e sátiras sem sentido e em momentos inapropriados da narrativa.


Título original: Jennifer's Body
Autor: Audrey Nixon
Editora: Galera Record
Páginas: 192

O livro conta a história de Anita (Needy) uma adolescente deslocada, que tenha como melhor amiga a garota mais popular e bonita da escola (clichê típico americano), e logicamente a Needy, tem aquele complexo de amiga feia, embora ela tenha um namorado que e um baterista da escola. Porém tudo para a Needy se resume a sua amizade com Jennifer, que ao passar por uma situação bizarra (muito mesmo), torna – se algo sobre humano.

Até este ponto a história é interessante, tem uma boa base, e a leitura flui muito rapidamente, eu consegui ler este livro em menos de 6h, ou seja, é uma leitura cuja narrativa é boa, porém a história é exatamente como na adaptação para o cinema, com a Amanda Seyfriend e Meghan Fox, clichê e com um alivio – cômico mais esquisito já feito em um livro / filme. Talvez esse seja, o grande diferencial de Garota Infernal, porém para mim, tornou – se maçante ler a todo o momento, piadas em situações onde não havia a necessidade de ser feita.

“E eu que já era a Senhorita Indestrutível. O limpador de piscina deixou um buraco em seu abdômen, de onde escorria sangue. Ela olhou para mim. – Tem um absorvente por ai? – perguntou”. (p. 160).

Ou seja, tais situações com essas piadas sem momento deixou a leitura, entediante e maçante, mas ainda assim fluida, apesar disso a construção dos personagens e interessante, a Needy é uma garota sem voz e que no decorrer da escrita vai se descobrindo e permitindo explorar a sua força, sem a necessidade de ter um gancho que era na sua vida a Jennifer.  E a Jennifer é a típica adolescente americana (retratada) nos filmes, fútil, onde cuja beleza e o mais importante, porém ela é insegura como qualquer garota, que deseja a aceitação feminina e masculina, embora o que ela reflete e o contrário para os outros.

Apesar disso, Garota Infernal tem seus pontos positivos e uma narrativa bem construída, com personagens também, assim como o final que deixa uma margem para o imaginário do leitor. Essa obra é baseada no roteiro de Diablo Cody, é diferente desse se passa em primeira pessoa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário