Jurassic World: Reino Ameaçado | Crítica


O primeiro filme da franquia Jurassic Park chegou aos cinemas em 1993 com a direção de Steve Spielberg, 25 anos depois Jurassic chega aos cinemas em uma nova versão intitulada Jurassic World: Reino Ameaçado.

Jurassic World: Reino Ameaçado, crítica, uma garota chamada samSinopse: Três anos após o fechamento do Jurassic Park, um vulcão prestes a entrar em erupção põe em risco a vida na ilha Nublar. No local não há mais qualquer presença humana, com os dinossauros vivendo livremente. Diante da situação, é preciso tomar uma decisão: deve-se retornar à ilha para salvar os animais ou abandoná-los para uma nova extinção? Decidida a resgatá-los, Claire (Bryce Dallas Howard) convoca Owen (Chris Pratt) a retornar à ilha com ela.

Data de lançamento: 21 de junho de 2018 (2h 08min)Direção: Juan Antonio BayonaElenco: Chris Pratt, Bryce Dallas Howard, Rafe Spall maisGêneros: Aventura, Ficção científica

Jurassic World chegou aos cinemas nacionais no dia (21) de junho, com uma excelente premissa, embora seguindo a continuação do filme anterior Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros” lançado em 2015. Nesta continuação temos novamente Chris Pratt (Nick Van Owen) e a atriz Bryce Dallas Howard (Claire Dearing) nos respectivos papeis principais.

Com a direção de Juan Antonio Bayona (Sete Minutos para a Meia Noite) temos um novo olhar e novidades na franquia, que até o filme anterior não havia apresentado grandes diferenciações do que seus antecessores. Com um suspense maior e um roteiro mais sério e sombrio, Jurassic World: Reino Ameaçado, torna – se um filme diferente do que vinha sendo feito. Com bastante sequências eletrizantes e cenas com uma fotografia incrível, o filme consegue dar um passo e se transformar em algo novo e assustador.

Conseguindo captar o telespectador a cada nova cena apresentada no filme, dando a Jurassic World, um horizonte novo, com um clima tenso, de terror, sendo o oposto apresentando no filme de 2015. Este definitivamente me prendou, me deixou tensa, apreensiva do que poderia vir a acontecer, pois a imprevisibilidade era algo aterrorizante – Este definitivamente não é um filme da franquia feito para crianças.

Jurassic World: Reino Ameaçado, crítica, uma garota chamada sam

Além disto, o roteiro bem elaborado com a excelência da direção de Bayona, trouxeram a Jurassic World: Reino Ameaçado este terror trazido por ele em “O Orfanato” (por exemplo), trazendo a assinatura pessoal do diretor para o filme ao criar uma atmosfera obscura nesta produção. Com efeitos visuais brilhantes e um jogo de sombras assustadores, além é claro de conseguir um efeito mais realistas as cenas.  Sem deixar de fora as excelentes atuações dos atores principais, assim como de todo o elenco, que estão brilhantes e convincentes em seus respectivos papeis, uns melhores do que outros, mas ainda assim, ótimas atuações.

·         Considerações Finais:

Jurassic World: Reino Ameaçado, crítica, uma garota chamada sam

Ele é bom, com ótimas atuações tornando Jurassic World: Reino Ameaçado o primeiro longa que se diferencia dos outros desta franquia, embora tenha alguns problemas, como a demora em engatar quando a história e quando finalmente acontece, não dá espaço para respirar porque vem uma enorme sequência de acontecimentos, mas ainda assim, você consegue se divertir e aproveitar um bom filme com a família e amigos, ou seja, no geral o filme cumpre bem o seu papel de entreter o telespectador não decepcionando ao final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário